Barcos e Corpo de Bombeiros ajudam nas buscas por comerciante de Sooretama que está desaparecida

Maria Geralda Miranda sumiu na ´´ultima quinta-feira (1) ao desembarcar em Linhares. Familiares aguardam por respostas

Barcos e Corpo de Bombeiros ajudam nas buscas por comerciante de Sooretama que está desaparecida
O Corpo de Bombeiros e embarcações particulares estão realizando buscas pela comerciante Maria Geralda Miranda Magnago, de 59 anos. A mulher, que é dona de uma farmácia em Sooretama, no Norte do Espírito Santo, está desaparecida desde a última quinta-feira (1).

A última informação a respeito do paradeiro de Maria Geralda aponta que ela chegou a desembarcar de um ônibus em Linhares, cidade vizinha de Sooretama. Além disso, teria sido vista nas proximidades do Rio Doce. 

Em entrevista, Miguiane Mirando Magnago Pivetta, filha da comerciante, narrou que as buscas estão intensificadas na região do leito do rio. 

"Estamos trabalhando com algumas hipóteses para o desaparecimento. A população ribeirinha, barcos de amigos e barcos particulares também estão auxiliando”, descreve Miguiane. 

A filha narra que aguarda, de maneira ansiosa, qualquer tipo de informação sobre o paradeiro da mãe. 

"A gente pediu informações até mesmo aos pescadores, caso encontrem o corpo no Rio Doce. Precisamos de uma resposta, essa situação que estamos lidando é muito angustiante. Aceitamos qualquer informação", finaliza. 

A família disponibilizou um número de telefone para quem puder ajudar com informações que sejam realmente verídicas e faz um apelo para que as pessoas não repassem pistas falsas sobre onde poderá estar Maria Geralda: 27 99955-0828.

Procurada para mais informações sobre a ocorrência relacionada ao desaparecimento da comerciante, a Polícia Civil informou que as investigações e as diligências da Delegacia de Infrações Penais e Outras (Dipo) de Linhares estão em andamento, mas que, no entanto, Maria Geralda não foi localizada.

A polícia ainda pede que Informações que auxiliem no trabalho de investigação de pessoas desaparecidas podem ser repassadas de forma sigilosa por meio do Disque-Denúncia 181 ou pelo disquedenuncia181.es.gov.br, onde é possível anexar imagens e vídeos de ações criminosas.




COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA